jusbrasil.com.br
23 de Setembro de 2019

'Pânico' é condenado por trocadilho com sobrenome da autora Gloria Perez

Daniel Murta, Advogado
Publicado por Daniel Murta
há 6 anos

19/02/2014-19h28, Folha de São Paulo.

O 'Pânico na Band' foi condenado pela 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro a tirar do ar todos os programas e quadros que contenham a personagem Glória Fezes.

A personagem é uma paródia com a autora de novelas Gloria Perez, da Globo.

A emissora terá que retirar áudios, fotos e vídeos de seu site e de redes sociais (Youtube e Facebook) que citem a personagem.

A multa em caso de descumprimento da decisão é de R$ 5 mil. As informações são do site oficial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

O relator do acórdão, Desembargador Mario Guimarães Neto, disse que o programa "faltou com o bom senso" ao fazer o trocadilho com o sobrenome da autora.

"O trocadilho do nome Gloria Perez por 'Glória Fezes' é inadmissível e extrapola todos os limites do bom senso, do espirito que deve nortear a imprensa, e, acima de tudo, do senso de responsabilidade que deve dirigir a atividade televisiva", declarou.

O personagem é vivido pelo humorista Márvio Lúcio, o Carioca, no quadro "Jornal do Boris".

Procurada, a assessoria de imprensa da emissora diz que não comenta decisões judiciais.


Extraido de: http://folha.com/no1414771

20 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

A decadência humorística do pânico é gritante e anda na velocidade da luz! continuar lendo

Esse Pânico não faz jornalismo, faz exibicionismo sem criatividade nenhuma. continuar lendo

Esse falso humorismo é pior do que esterco, pois este até pode servir de adubo, enquanto aquele nem para isso presta. Ridicularizar, ofender as pessoas não deveria ter graça nenhuma. continuar lendo

Pânico é o fundo do poço da dignidade de um humorista.
Quem assiste não liga para as piadas, mas sim para o apelo erótico das mulheres expostas lá como frangos nas assadeiras de rua. continuar lendo